Startup brasileira quer eliminar taxas nas negociações de Bitcoins

Negócios

O mercado de criptomoedas tem atraído muitos olhos, por todo o mundo. Após o “boom” de notícias ocorrido no final de 2017, novos usuários começaram a se aventurar nessa área.

Estima-se que algumas corretoras brasileiras tenham aumentado em 1.400% o faturamento por causa desse período e, algumas corretoras estrangeiras, chegaram a bloquear o acesso de novos cadastros devido à grande demanda de novos usuários. A demanda foi tamanha que registrou-se a solicitação de 250 mil novos cadastros de usuários, em um único dia em apenas uma exchange.

Além do aumento exponencial do número de usuários, percebe-se que o brasileiro paga um alto valor em taxas  nas exchanges nacionais. Por exemplo, depositar, comprar Bitcoin, vendê-lo e sacar o dinheiro em reais, pode custar até 5% do investimento aplicado, enquanto que em uma das maiores exchanges estrangeiras, paga-se somente 0,3%. Em outras palavras, se você deposita R$1.000,00 em uma exchange nacional, sem considerar a variação do preço do Bitcoin, você pagará R$ 50,00 somente de taxas!

Pensando em como eliminar essas cobranças abusivas, um site chamado Clube Bitcoin, promete que os seus membros não pagarão nenhuma taxa de comissão sobre as operações de compra, venda, depósitos e saques, tanto em Reais quanto em criptomoedas.

Os fundadores da plataforma são o empresário Valdiney Pimenta e o engenheiro André Hamada, que também são traders, ou seja, negociam com frequências estes criptoativos.

Eles notaram que as corretoras estavam cobrando taxas muito altas, especialmente quando comparado com corretoras internacionais. Segundo Valdiney, algumas vezes as corretoras chegavam a ganhar três vezes mais que ele, e sem correr nenhum risco .

“Além disso, apesar das altas taxas, é comum ver os usuários dessas corretoras reclamando da má qualidade dos serviços, como demoras nos depósitos e saques, suporte ineficiente, problemas e erros nas plataformas…”

André explica que foi o incômodo com essa situação que os levou a propor um modelo diferente para negociar criptomoedas.

A ideia é uma espécie de clube de negociadores, onde os membros não pagam nenhuma taxa de comissão. Podem negociar a vontade, sem nenhum custo. No entanto, enfatizam os fundadores: “Apenas os Membros do Clube terão isenções de taxas, dos demais usuários serão cobradas taxas normalmente, apesar de bem menores que as praticadas pelo mercado”. Ressaltam ainda que a quantidade de membros que o clube aceitará é limitada.

Para fazer parte do Clube, bastará adquirir as criptomoedas através de um processo chamado ICO. Segundo os fundadores, a empresa deverá começar suas atividades pelo Brasil, mas já tem planos para expandir por outros países da américa latina.

ICO do Clube Bitcoin:

O ICO do Clube Bitcoin se iniciará no do 09 de Maio, finalizando assim que as criptomoedas se esgotarem, ou, no máximo, em 31 de Agosto 2018.

Para receber mais informações, basta se cadastrar com e-mail no website www.clubebitcoin.net e conferir o projeto em detalhes no White Paper, disponibilizado na página da empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *